sexta-feira, 10 de julho de 2015

Da vingança





"A melhor vingança é o esquecimento, pois é o sepultamento do desprezível na poeira da sua própria insignificância "

(Baltasar Gracián)



Nunca fui pessoa de vinganças. Dão demasiado trabalho e eu sou um bocado preguiçosa. Depois, se formos a ver acaba por ser contraproducente. Enquanto se anda entretido a pensar numa forma de vingança , não se deixa de pensar no objecto da nossa ira. Ora, isso é uma forma de amor.... Mau amor, é certo , mas amor na mesma.

Posso a ficar a moer uma cena que não me agradou, durante algum tempo. Depois passa-me e nem me lembro que essas pessoas existem. A não ser quando essas pessoas resolvem aderir a uma espécie de nova moda que se chama abrir perfis falsos... e vêm bater-me à porta a querer saber mais do que eu quero dizer... Oh mas que falta de paciência!!! E quem me explica qual é o interesse de andar a pedir amizade a um monte de gente a fingir que é uma mulher toda boa quando afinal é um ganda porco? Por exemplo. Pior. Depois há malta que acaba por topar e lá vem o inevitável lavar de roupa suja toda escarrapachada nos murais....   mais uma grande perda de tempo.... e uma vergonha desnecessária

No outro dia encontrei esta frase do Baltazar Gracián que simplesmente não posso deixar de postar aqui

Agora cada vez que tiver um stalker no meu encalço, atiro-lhe com esta frase. É garantido. Desistem logo :) Porque das duas uma: Ou lhes serve a carapuça ou porque acham que sou louca. 
Qualquer uma das duas , serve perfeitamente









1 comentário: