segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Quando o Diabo quer simpatia

(Milo Manara)


“Chassez le diable et il reviendra ao galop”


Esta expressão francesa quer mais ou menos dizer que, se corrermos com o Diabo, ele voltará a galope. Ou seja, se expulsar um problema pela porta, ele entrará pela janela…

Há questões que vão acontecendo e que pura e simplesmente não podem ser exorcizadas. Reconhecer o problema ou o fantasma, identificá-lo e esperar que desapareça, não se aplica. É preciso alterar a forma e fazer algo de maneira diferente para que tudo volte a funcionar  normalmente; trocar a peça defeituosa para o que o motor role suavemente outra vez.

Mas estas situações, mesmo as difíceis e complicadas, são as que dependem apenas de nós próprios: da nossa decisão, força de vontade, etc, etc.

Depois, há os Diabos que, para deixarem de o ser, de arrombar portas e partir os vidros da casa, teriam que colaborar um bocadinho em vez de obrigarem os outros a puxar pela cruz e pela água benta. Teriam que reflectir, tornar-se um pouco mais decentes, mais humildes, em vez de gritar que os julgam, que não os aceitam como são, que são sempre injustamente condenados e que ninguém tem simpatia pelo Diabo…

Bem, não se aceitam essas pessoas tal como são, nem tanto pela mania de julgar os outros, mas porque, convenhamos, viver numa casa infernalmente assombrada é um bocado cansativo. E como o exorcista amador de serviço e o Diabo não se entendem, caçam-se, acusam-se, batem  com portas e janelas e a sessão de terror é contínua.

Há coisas que não se resolvem. Ponto. Nem com Vade Retro, nem com Sympathy for the Devil






2 comentários:

  1. Não consigo perceber pessoas que acham que são sempre injustificadas ou que têm sempre razão..são cansativas,mesmo para o Diabo,loool

    Beijo ;)

    ResponderEliminar
  2. A Vida sem momentos de inferno não tem tanto sabor...a vida sem Stones não tem Rock n Roll....
    Beijos Charmosos....e bons posts como o teu dão cor á blogosfera....Aguardo a tua visita

    ResponderEliminar