domingo, 5 de maio de 2013

Porque há mães e mães





Hoje comemora-se o Dia da Mãe. O 1º Domingo de Maio. Infalível....

Por todo o lado somos bombardeados pelo Dia da Mãe

Para mim é um dia deprimente. Temos pena.... pronto, confesso.





E porquê pergunta-se alguém que seja um filho "normal"?

Porque a minha mãe não foi a melhor mãe do mundo. Não que alguma vez me quisesse mal ou algo parecido, mas nunca sentiu o que é ser MÃE. Aquela coisa que se apodera de nós e nunca mais conseguimos largar........ . Pois à minha mãe nada disso aconteceu. Será assim mesmo para algumas pessoas?

Eu fui mãe muito nova, tal como a minha mãe, mas, ao contrário dela, eu amo a minha filha acima de tudo e de todos. Nem se encontra, acho eu, uma  explicação lógica para o quanto amamos os nossos filhos.

Sempre me senti uma espécie de irmã tardia da minha mãe e juntamente com o facto dos meus avós também eles serem novos, acabei por ser educada pelos meus avós. A minha mãe mantinha-se por perto q.b. mas praticamente não tinha voz na matéria, no que à minha pessoa dizia respeito

Talvez seja essa a explicação. Não chegámos a criar laços. E eu bem os queria criar....  só que ela sempre se afastou. Falo de uma mãe que em primeiro lugar é mulher. Falo da pessoa mais egocêntrica que conheci na minha vida. Que estava sempre muito mais preocupada com uma merda qualquer do cabelo, do vestido, das unhas, do cão, etc, etc... do que com o que eu lhe queira dizer. Eu, a tolinha do costume, sempre a tentar chamar a atenção e desejar com todas as forças que ela gostasse de mim o mesmo que eu achava que as mães gostam dos filhos.
Claro está que a coisa agravou-se muito entre nós quando eu fui mãe. Fui e sou uma mãe muito protectora. A minha filha é tudo para mim!! E depois olhava para a minha mãe e pensava que ela nunca tinha sentido nada disso. Foi muito complicado de gerir...

Ao fim de uns tempos (alguns anos, confesso), resolvi perdoar-lhe. Ou então também naquela base de se não os podes vencer, junta-te a eles lollol. Percebi que não havia nada a fazer. Já me tinha cansado de andar tanto tempo a remar contra a maré. Ela seria sempre assim, digamos que uma mãe com limitações, e pronto, mais ou menos resolvi a questão comigo.

Depois chegam estes dias convencionados como serem o Dia da Mãe e eu começo a pensar em tudo o que a minha não foi...
É uma grande, mas uma grande chatice mesmo.





_______________________    """""""""  ________________________ """""""  ____________________

Pequena GRANDE Nota da Autora:

Não sou eu que vou julgar em causa própria, mas sei que desde que a minha filha nasceu que eu tento ser a melhor mãe possível que se pode ser.................... Posso ter tido algumas falhas, mas antes de ser mãe, sou humana, não isenta de falhas e defeitos. Espero sempre que a minha filha olhe para mim como o porto mais seguro da vida dela , com a certeza que estarei sempre do lado dela. E que um dia, quando eu for pregar para outras paragens, que se lembre de mim principalmente, com admiração, entre outros mimos!
Também sei que um dia será uma excelente mãe e amará os filhos como só uma mãe sabe como é amar verdadeiramente e incondicionalmente



Sem comentários:

Enviar um comentário